Vendendo o seu livro

Escolher o preço de um livro – Uma visão geral para autores autopublicados

Estás a trabalhar no teu livro há meses e agora ele está finalmente pronto para publicação e venda? Para muitos autores, esta pode ser uma parte difícil do processo de publicação, afinal de contas, como pões um preço nos teus esforços criativos? O facto de os autores autopublicados terem controle total sobre o preço que escolhem para o seu livro só torna a decisão mais difícil. Neste artigo, queremos ajudar-te a abordar esta questão de uma forma estratégica e pragmática. Vamos discutir cada um dos diferentes tipos de livro (livro de bolso, capa dura e ebook) e o que deve ser tomado em consideração ao decidir o preço em cada um deles.

Dicas gerais para escolheres o preço do teu livro

Vamos estabelecer algumas coisas antes de entrarmos nessa discussão. Existem algumas dicas gerais de preços que devem ser levadas em conta antes de analisar estratégias específicas para cada tipo de livro.

Explora o teu nicho

Para muitas pessoas, a parte mais difícil sobre colocar o preço no seu livro é descobrir por onde começar. Deves fazê-lo com dois dígitos ou com um? Qual é o máximo que podes cobrar, razoavelmente, aos teus leitores? Bem, a melhor maneira de teres um ideia é ires aos sites das principais livrarias e procurares livros semelhantes ao teu. Fica atento a títulos do mesmo género, espessura e formato (capa dura, livro de bolso, etc.) do teu livro. Faz uma lista dos livros que encontrares, dos atributos que eles têm e quanto custam. Isto deve dar-te uma ideia do preço médio do tipo de livro que estás a tentar vender, o que é um ótimo primeiro passo.

Barreiras mentais de preços

As pessoas gostam de analisar e compartimentar. Como tal, a maioria de nós estabelece as chamadas barreiras mentais quando estamos a tentar comprar algo. Com cada barreira, as pessoas ficam um pouco mais críticas sobre o produto que estão a considerar, o que significa que a menos que um produto nos convença com a sua qualidade, a nossa vontade de comprá-lo diminui. Essas barreiras mentais variam, mas tendem a aparecer em torno de múltiplos de 5 – 5€, 10€, e 20€ são barreiras de preço mental comuns.

Posto isto, uma tática de venda comum, que todos nós já vimos, é a venda de um produto por um preço logo abaixo de uma dessas barreiras. Embora estejamos conscientes de que não há quase nenhuma diferença, uma etiqueta de preço que diz 4,99€ é muito mais sedutora do que uma que diz 5€. Nós tendemos a dar um pouco mais de atenção aos produtos com a etiqueta de preço anterior, já que eles contornam as nossas barreiras mentais de preço.

O que estamos a tentar dizer-te é: dá ao teu livro um preço logo abaixo de uma dessas barreiras. Faz com que o teu livro pareça mais acessível, e chame mais à atenção dos clientes.

No entanto, há um cenário em que podes querer adotar uma abordagem diferente. Se estás a planear vender o teu livro através de um terceiro revendedor, por exemplo, deves verificar a partir de que preço é oferecido o envio gratuito. Afinal de contas, não há nada mais irritante do que pensar que acabaste de encontrar um bom negócio, apenas para te aperceberes de que tens de desembolsar mais 3€ para que a tua compra seja entregue. Portanto, se estavas a pensar em fixar o preço do teu livro em 19,99€ mas reparas que o envio gratuito começa para encomendas de 20€ ou mais, então seria inteligente reconsiderar. Os teus leitores não se vão importar de pagar um extra de 0.01€ se isso significar que recebem um envio grátis.

Podes cobrar mais por não-ficção

Em geral, os livros de não-ficção, particularmente aqueles que são de natureza académica, são mais caros do que os títulos de ficção. Esta diferença de preço reflete a menor audiência e a concorrência mais limitada presente no mercado dos livros de não-ficção.

Não desvalorizes o teu trabalho

Embora a venda de livros por amendoins tenha provado ser uma estratégia de negócio de sucesso para algumas pessoas, e a oferta de livros uma estratégia de marketing eficaz no contexto certo, nós desaconselhamos essa estratégia.

Pode ser tentador, para algumas pessoas, colocar o preço do seu livro a um preço muito baixo (menos de 4€) quando começam, mas temos notado que isto pode, muitas vezes, ser prejudicial para as suas vendas. A razão para isso tende a ser que as pessoas interpretam o preço anormalmente baixo como um sinal de baixa qualidade, levando-as a escolher títulos mais caros que parecem mais legítimos aos seus olhos.

Claro que, obviamente, estabelecer um preço ridiculamente alto para o teu livro também é uma má ideia – encontra o ponto certo em algum lugar perto do meio da tua faixa de preço.

Preço do teu ebook

O preço dos ebooks é provavelmente o mais flexível dos três tipos de livros, com o número final dependendo principalmente de quais são os teus objetivos. Queres que o maior número possível de pessoas leia o teu livro, ou queres capitalizar os custos de produção inexistentes para maximizar a tua margem de lucro? Por exemplo, uma estratégia de marketing que delineamos no nosso guia geral de promoção de livros, bem como no nosso artigo no blog sobre como promover o teu livro nas redes sociais, é dar exemplares gratuitos do teu livro digital com o objetivo de estimular o marketing boca-a-boca. Uma vez que tenhas conseguido que alguns leitores se viciem e comecem a falar sobre o teu livro, podes começar a cobrar uma modesta quantia por ele. Se as pessoas gostarem o suficiente do teu livro, um número surpreendentemente grande deles vai querer pagar-te por ele.

Por outro lado, tens um stock infinito de livros eletrónicos que não custam nada a produzir, então o lucro por cada cópia vendida será relativamente alto, especialmente se os venderes diretamente. Tem em mente, porém, que as pessoas não estão dispostas a pagar tanto por um ebook. Provavelmente já experimentaste a frustração de procurar por um livro que querias ler, e te apercebeste que a versão digital é tão cara quanto a versão impressa (se não mais!). As pessoas ainda apreciam a sensação do papel, não te deixes enganar. O propósito de um ebook não é competir diretamente, mas oferecer uma alternativa conveniente, mais barata e ambientalmente mais amigável.

Preços da tua capa dura ou do teu livro de bolso

Ao contrário de um ebook, existem certos custos de produção associados aos livros impressos que terás de ter em conta ao fixar os teus preços. A tua gráfica ou o teu fornecedor de serviços de autopublicação deverá ser capaz de te dar mais informações sobre estes custos. Se és um usuário Bookmundo (ou planeias tornar-te um) podes simplesmente preencher as tuas especificações na nossa calculadora de preços para teres uma ideia de qual será a tua margem de lucro final.

Ao comparar capas duras com livros de bolso, a principal diferença é que o primeiro pode ter um preço mais elevado do que o segundo. Isto porque é necessário mais material no processo de produção, algo que, naturalmente, aumenta os custos. Além disso, as capas duras são mais duradouras do que os livros de bolso. Como é fácil entender, o preço mais elevado associado às capas duras também tende a levar a uma maior hesitação por parte do cliente, devido às barreiras mentais de preço, que foram mencionadas acima.

As principais vantagens, tanto das capas duras como dos livros de bolso em relação aos ebooks é a aparência legitima que impregna o teu livro. Se o teu livro está disponível como objeto físico, torna-se mais desejável aos olhos dos potenciais leitores. Suspeitamos que isto se deve, principalmente, a duas coisas. Primeiro de tudo, qualquer pessoa pode escrever um documento e torná-lo disponível para download na internet, enquanto que alguém que passou pelo trabalho de formatar e imprimir um livro físico é visto como alguém que colocou mais esforço na sua obra. Em segundo lugar, as pessoas parecem gostar de possuir as coisas que compram, por isso, pensam que as cópias impressas valem mais o seu dinheiro.

É claro que estas ideias não devem desencorajar-te de publicar um ebook, caso o desejes fazer. Os níveis de popularidade dos ebooks estão a crescer cada vez mais, à medida que as pessoas se acostumam a eles. E livros digitais têm vantagens inegáveis. Também não deves subestimar o alcance dos canais de venda que lidam exclusivamente com ebooks, como a Apple ou o Google.

É bom saber:

  • Alguns revendedores online (como a Apple) exigem que definas um preço de venda que termine em 49 ou 99. Como tal, é uma boa regra prática manter essas casas decimais ao fixar o preço do teu livro, de modo a garantir que não perdes nenhum canal de venda.
  • Cada revendedor leva uma percentagem diferente dos teus lucros – alguns chegam a 50%! Tem isto em mente ao determinar o teu preço de venda. Pode ser vantajoso fazer alguma pesquisa sobre os canais de venda que estás a pensar utilizar.
  • Uma estratégia de marketing bem executada é tão importante quanto obter o preço certo do teu livro. Temos vários recursos disponíveis no nosso site para ajudar-te a organizar a melhor campanha de marketing possível. Confere o nosso guia geral sobre marketing de livros, o nosso artigo sobre promoção de livros nas redes sociais, o nosso artigo sobre como organizar um evento de lançamento de livro, ou, até mesmo, o nosso artigo sobre como desenhar uma capa de livro utilizando o Canva.

Vamos terminar!

Neste artigo, tentamos delinear os vários factores que poderás querer ter em consideração ao escolher o preço do teu livro. Abordamos duas dicas gerais e destacamos os aspetos mais específicos de cada tipo de livro. Esperamos que a informação presente neste artigo te tenha ajudado a escolher o preço do teu livro e a aproximar-te de te tornares um autor publicado. Caso ainda tenhas dúvidas ou perguntas sobre o preço do teu livro, ou qualquer outra questão relacionada à publicação, sente-te à vontade para nos contactar em info@bookmundo.pt – adoraríamos ouvir-te!

Menu